Na terca feira, 10, o professor Pedro Loureiro acompanhado da docente Nelia Rufem reuniu seus alunos das turmas da manha e da noite do sexto semestre de jornalismo para um debate com Rita Soares, jornalista-blogueira, na Estácio Fap. O motivo do evento seria interagir os alunos dos dois turnos para a troca de experiências com a visitante, que contou desde o seu primeiro período de trabalho em O liberal ate a sua estadia no Diário do Para onde trabalha atualmente.

Rita sempre teve uma paixão por blogs e principalmente assuntos políticos, quando fez o site ela mandava a ver nos posts, colocando sua opinião e fatos de interesse público. Certa vez recebeu um convite pra ser assessora de um senador em Brasília e aceitando acabou indo embora. Então fechou o blog por medo que algo a prejudicasse.

Estando em Belém começou a fazer duas faculdades, jornalismo e psicologia, e ao iniciar a carreira em O liberal passou a escrever no caderno “mulher” com o objetivo de  interligar os seus dois cursos. Já no Diário do Pará ela reabriu o blog e finalmente se firmou nas publicações sobre política, onde ficou conhecida no blog da repórter.

Ela diz que trabalhar nesse ramo é preciso que se tenha muita cautela para não criar inimizades, apesar de que a profissão de jornalismo em si já é propensa a esse tipo de situação. Porém todo cuidado é pouco “jamais aceito presentes de autoridades, prefeitos, deputados e senadores porque se um dia tiver que falar sobre algum deles não pensarei duas vezes. Prezo muito pela ética e publico todos os fatos verdadeiros” ela ressalta.

Os alunos ficaram tão interessados no debate que encheram a blogueira de perguntas, e a repercursão foi das melhores. Muitas delas estiveram relacionadas ao fato do interesse de Rita pela política e duvidas sobre como ela redige matérias para o jornal e para o blog. Nesse caso explicou que existe uma diferenciação devido as regras em jornalismo “os blogs possuem uma liberdade de expressão maior devido ser pessoal, quando se trabalha na redação agente precisa obedecer todos os critérios da objetvidade, imparcialidade, pirâmide invertida, lead etc. Enquanto nele eu já passo a ser mais subjetiva alem de receber comentários sobre os temas, há uma interatividade entre eu e o leitor” explica Rita.

Os comentários feitos no blog da repórter são selecionados. Ela diz que recebe 200 ou mais todos os dias mas que geralmente publica 100 dependendo de como são feitos. Não aceita em caixa alta porque afirma ser uma falta de respeito, não pode haver comentários grosseiros, nem links ou publicações  feitos por outros sites. A única maneira que ainda permite são os anonimatos, ela preza pela liberdade de expressão e aceita  comentários sem assinaturas, só não pode ultrapassar os limites.